COVID-19: você sabe quanto tempo o vírus fica na roupa?

O novo coronavírus possui um alto nível de transmissibilidade. Além da contaminação direta, é possível infectar-se de maneira cruzada, ou seja, quando há contato com uma superfície contaminada. Por isso, existe uma grande preocupação sobre quanto tempo o vírus fica na roupa e em outros materiais.

Apesar de a contaminação cruzada acontecer, ela não é o principal meio de propagação do vírus. Entretanto, desinfetar roupas, assim como limpar superfícies e objetos, como as compras do mercado, são hábitos bem-vindos na atual crise sanitária.

Relação entre o vírus e as roupas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica o novo coronavírus como um vírus respiratório, ou seja, a propagação acontece por meio de gotículas que são liberadas pelo nariz e pela boca: ao tossir, uma pessoa infectada produz até três mil gotículas.

Portanto, a contaminação direta é mais comum: quando as gotículas expelidas por uma pessoa doente entram em contato com as vias áreas de indivíduos saudáveis. Entretanto, elas também ficam acumuladas em superfícies, já que não permanecem suspensas no ar por muito tempo.

Então, se uma pessoa contaminada tossir, as partículas podem atingir a roupa de indivíduos próximos a ela, ficando alojadas no tecido. Por isso, existe a preocupação em relação ao tempo de sobrevivência do vírus fora do corpo humano.

Permanência do vírus nas roupas

Alguns estudos revelaram que o vírus permanece ativo nas superfícies durante horas e até dias. Sabendo disso, novas preocupações surgiram: quanto tempo o vírus fica na roupa? É necessário lavar as peças sempre que sair de casa? Como desinfetar roupas contaminadas?

Ainda não foram realizados estudos que analisam o tempo de permanência do Sars-CoV-2 em diferentes tipos de tecido. No entanto, pesquisas com outros vírus apontam uma sobrevida de 72 a 96 horas em tecidos. Por isso, assume-se à possibilidade do vírus permanecer ativo durante horas nas roupas.

Tipo de tecido pode influenciar

O tempo de permanência do vírus em uma roupa pode variar de acordo com o tecido. As fibras naturais, por exemplo, possuem capacidade de absorção, e é possível que essa característica promova a desidratação do vírus.

Entretanto, pesquisas focadas no novo coronavírus são a melhor maneira de saber quanto tempo o vírus fica na roupa e, até o momento, elas não foram realizadas.

Roupas antivirais desativam o vírus

A tecnologia têxtil viabilizou a criação de um tecido antiviral. A Insider, por exemplo, aplica uma formulação com íons de prata em seus tecidos, porque o poder germicida deste ingrediente aumenta exponencialmente quando ele é reduzido em escala nanométrica.

Funciona da seguinte forma: quando o novo coronavírus entra em contato com a roupa, ele é neutralizado, perdendo sua capacidade de reprodução e contaminação. Essa tecnologia foi aplicada na t-shirt antiviral que, além de proteger da COVID-19, é uma camiseta com design minimalista e versátil.

Eficácia comprovada

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) seguiu a norma ISO 18184 durante a realização dos testes do tecido antiviral. Os dados revelam que a formulação é capaz de desativar 660 tipos de micro-organismos, incluindo o novo coronavírus, e apresenta redução de 99,9% das cepas testadas.

Além disso, a ação é rápida, e o vírus é desativado em cinco minutos. Portanto, quem usa camisetas e máscaras antivirais não precisa se preocupar sobre quanto tempo o vírus fica na roupa.

Higienização de roupas

Se você usar uma peça sem tecnologia antiviral para sair de casa, é importante saber como desinfetar roupas na máquina de lavar. Afinal, existe a possibilidade delas estarem contaminadas com o novo coronavírus.

quanto-tempo-o-virus-fica-na-roupa-insider

É indicado trocar a roupa sempre que chegar em casa e, se possível, colocá-la para lavar em seguida. Nessa etapa, uma dúvida é muito comum: o que é bom para desinfetar roupas? No caso do Sars-CoV-2, basta manter uma lavagem tradicional, com água e sabão, para eliminar o vírus das peças.

Medidas de prevenção

Os casos de COVID-19 estão aumentando em todo o mundo novamente. Por isso, é importante ressaltar que as medidas básicas de prevenção precisam ser mantidas. A forma mais eficaz de manter-se protegido do vírus é praticando o distanciamento social.

Além disso, as mãos não devem ser levadas ao rosto. Elas precisam ser higienizadas com álcool em gel 70% ou água e sabão frequentemente. Usar máscara de proteção e evitar aglomerações também são atitudes essenciais.