Design Thinking: entenda o conceito e comece a praticar

Se você ainda não conhece esse conceito, fique tranquilo, porque apesar de existir há anos, o termo se popularizou recentemente. Design Thinking é uma metodologia centrada nas pessoas e na empatia que, de modo geral, utiliza um conjunto de ferramentas e técnicas para solucionar necessidades, problemas e desejos. Ela estimula a criação de produtos ou serviços de acordo com que as pessoas realmente querem ou precisam. 

Segundo Charles Burnette, uma das maiores autoridades no assunto, Design Thinking “É um processo de pensamento crítico e criativo que permite organizar informações e ideias, tomar decisões, aprimorar situações e adquirir conhecimento”. 

A primeira coisa que precisa entender sobre Design Thinking, é que está ancorado em três pilares: empatia, colaboração e experimentação. O processo criativo é totalmente colaborativo, envolvendo toda a equipe com profissionais multidisciplinares e, às vezes, os próprios consumidores.

Continue lendo para conhecer as 5 etapas do processo!

design_thinking

5 Etapas do processo de Design Thinking

Empatizar

A ideia central do Design Thinking é entender o que seu público precisa e desenvolver soluções eficientes. Por esse motivo, a primeira fase do processo é a empatia. Essa etapa exige o exercício de se colocar no lugar do outro para que suas necessidades, problemas e desejos sejam conhecidos com profundidade.

Para o entendimento do problema é necessário um processo de imersão para reunir o máximo de informações possíveis. É fundamental realizar pesquisas de mercado, entrevistas com diversas pessoas, familiarizadas com o problema e também as que não o conhecem. Além disso, é importante, se possível, vivenciar essas experiências para sentir a dor do outro. 

Definição 

Após a etapa de empatizar e conhecer às necessidades do seu público, é importante fazer a compilação das informações e dados coletados com as entrevistas e pesquisas. Organizar e analisar identificando padrões, e definir o desafio que deve gerar valor e resultados inovadores.

Ideação

Com base nos dados que foram coletados e analisados, esta é a etapa de usar a criatividade para criar possíveis soluções. Algumas ferramentas como brainstorming, mapas mentais e cocriação com os próprios clientes, podem ajudar nessa etapa do processo de Design Thinking.

A proposta é que toda a equipe envolvida no projeto contribua com as ideias que vem à mente. Uma dica valiosa é: utilizar um quadro de anotações, papel ou post-its para anotar tudo e ter uma visão ampla e sem julgamentos, pois, às vezes, as ideias mais esquisitas podem ser as mais disruptivas e inovadoras.

Prototipação

Esta é a etapa da materialização das ideias, hora de colocar a ‘mão na massa’ e criar protótipos físicos ou digitais para transformar as ideias em algo palpável. A prototipação permite detectar problemas e encontrar soluções antes de desenvolver a versão final. 

Com o protótipo é possível testar se a solução encontrada resolve o desafio, e ajuda a prevenir gastos desnecessários e verificar se há potencial para que o projeto siga adiante. 

Teste

Nesta última fase, é a hora de colocar o MVP (Minimum Viable Product), uma versão simplificada do produto, para funcionar e coletar feedbacks dos clientes para identificar falhas e limitações do seu produto. Com isso, é possível identificar pontos de melhorias e acompanhar o desenvolvimento e aceitação pelo público-alvo. 

Livros sobre Design Thinking

Se você se interessou pelo Design Thinking e deseja conhecer melhor essa forma de ‘pensar fora da caixa’, existem diversos livros que vão te ajudar a entender mais a fundo o conceito e como aplicá-lo na sua empresa ou até mesmo no seu dia a dia. Conheça alguns deles:

Design Thinking Brasil – Escrito por Tenny Pinheiro e Luis Alt da live|work, consultoria global de inovação e Design de Serviços

Design Thinking: Uma Metodologia Poderosa para Decretar o Fim das Velhas Ideias – Escrito por Tim Brown, CEO da empresa de inovação e design, IDEO. Além do livro, seus TED TALKS são ótimas fontes de conhecimento sobre o assunto. 

Isto é Design Thinking de Serviços: Fundamentos, Ferramentas, Casos – Escrito por Marc Stickdorn, cofundador e CEO da “More than Metrics”, startup austríaca que cria software para design de serviços.

Leia também: