Veja como melhorar a qualidade de vida urbana com dicas práticas

vida-urbana

No Brasil e em muitos outros países, a população se concentra no cenário urbano. As grandes cidades ficaram conhecidas como um cenário fértil para as oportunidades. Hoje, se considerarmos o tamanho do nosso país, mais de 50% da população tem uma vida urbana.

No entanto, esse ambiente pode se tornar muito estressante com o passar dos dias. Ansiedade e depressão são apontadas recorrentemente como as doenças do século. E isso tem tudo a ver com a forma como as pessoas se enxergam e se relacionam na sociedade atual.

Uma vida corrida e estressante

Buzina, trânsito, ônibus atrasado, metrô parando de funcionar, horas para chegar no trabalho e nas reuniões são situações que acontecem todos os dias. Apesar de parecer um cenário normal para quem vive essa rotina, essas situações estressam as pessoas todos os dias.

Nem sempre é possível perceber o motivo principal do estresse, até porque, muitas vezes, ele pode ser a soma de diferentes razões. No entanto, mesmo coisas pequenas podem desencadear um quadro de estresse ou fazer aquela bolha que está crescendo há um tempo explodir.

Pressões internas e externas

A vida na cidade grande, principalmente nas metrópoles, pode ser um fardo principalmente para aqueles que migram em busca de novas oportunidades. Sair de casa para tentar uma vida melhor faz com que as pessoas cobrem muito de si mesmas.

Quando a situação fica difícil e os planos não acontecem como planejado, a decepção pode fazer as cobranças ficarem ainda maiores. Para quem não está acostumado com a selva de pedra, o estresse urbano pode aparecer ainda mais rápido.

Além das pressões internas, é preciso lidar com os problemas externos. Ou seja, o chefe que está sempre em cima do seu trabalho, os colegas que não entregam as demandas, além de amigos e familiares.

As dificuldades da mobilidade urbana

vida-urbana-insider

Apesar de associarmos o tema rapidamente a São Paulo, todas as metrópoles mundiais, como Nova Iorque e Washington, sofrem com questões de mobilidade urbana. Isso se dá pela quantidade de pessoas morando nessas cidades.

O transporte coletivo em geral não dá conta de transportar todos com qualidade e, por uma questão de praticidade, muitos resolvem tirar o carro da garagem. Assim, pelo menos assegura-se o conforto durante o trajeto.

As horas no trânsito, as buzinadas e o colega que não dá passagem, porém, podem ser determinantes no aumento do nível do estresse. A poluição sonora urbana é um assunto cada vez mais relevante, por exemplo.

Quem usa transporte público precisa lidar com a falta de estrutura e horários que não são cumpridos. Por isso, opções como bicicletas e patinetes se tornaram alternativas à loucura do trânsito.

Como mudar esse cenário

A pergunta que fica é: como evitar o estresse na vida urbana? Existem algumas ferramentas que podem ajudar a atingir essa meta. Primeiro, é importante fazer um exercício de autoconhecimento e tentar identificar em quais situações e momentos do seu dia você se sente estressado. Analise mudanças de humor e comportamento.

Sabendo dessas informações, é mais fácil pensar em um plano de ação. Dessa forma, você consegue agir de maneira mais assertiva. Separamos algumas ações simples que ajudam a manter um nível de qualidade de vida na zona urbana.

Respire fundo

Pode parecer uma solução simplista diante de alguns problemas da urbanização, mas trabalhar a respiração pode realmente fazer a diferença. Respirar de forma profunda ajuda a oxigenar o cérebro e não é apenas um clichê.

Para começar agora: inspire o ar contando até cinco e expire pela boca contando até dez. Repita por cerca de dez minutos e será possível ver resultados.

Crie o hábito de fazer exercícios

Praticar alguma atividade física constantemente é muito importante para a qualidade de vida urbana e o combate ao estresse. Durante a atividade, a produção de endorfina é estimulada. Esse neurotransmissor é responsável pela sensação de bem-estar.

vida-urbana-exercicio

É importante lembrar também da relação entre corpo e mente. Quando você separa esse momento para focar apenas em si e deixar todos os outros problemas em segundo plano, isso alivia o estresse.

Durante a atividade, utilize roupas confortáveis que permitem os movimentos e não atrapalham o desempenho. Os produtos da Insider, as camisetas internas e cuecas tech podem ajudar nesse sentido.

Esteja perto da natureza

Estar em contato com a natureza proporciona paz e tranquilidade. Não à toa, as pessoas gostam de ir a parques aos finais de semana ou quando precisam espairecer.

É importante se desconectar do on-line e da correria da vida urbana. Você pode, inclusive, aliar esse tópico ao anterior e praticar suas atividades físicas em um local com mais verde e ar limpo.

Faça meditação

Há anos pesquisas confirmam a relação entre a meditação e a queda dos níveis de estresse. Existem diversas formas de praticar. Algumas usam incensos e estímulos musicais, enquanto outras preferem um ambiente silencioso.

Independemente da forma de meditação, o princípio é o mesmo: focar no momento presente. Parece simples, mas, na verdade, estamos há todo momento preocupados com o passado ou o futuro. Por isso, os diagnósticos de ansiedade e depressão não param de crescer.

Ao colocar a meditação na sua rotina da vida urbana, será possível perceber uma melhora exponencial nos níveis de atenção, diminuição do estresse e melhora na qualidade de vida.

Além disso, você estimula o autoconhecimento e consegue perceber melhor as reações em relação aos demais, podendo melhorar e mudar atitudes.